Suspeito de tráfico de drogas é morto durante confronto com a Polícia Militar, em Itapetinga



Uma ação conjunta entre policiais do Pelotão de Emprego Tático Operacional (Peto) e Rondas Ostensivas Táticas em Motocicletas (Rotam) terminou com um suspeito de tráfico morto, drogas apreendidas e um adolescente detido.

A ocorrência aconteceu no começo da noite desta quinta-feira (8), na rua Dona Ruth, às margens do Rio Catolé.

Os policiais disseram que chegaram ao local depois de receberem informações dando conta de três indivíduos armados na localidade. Lá, eles fizeram cerco para prender os suspeitos, porém, foram surpreendidos com disparos de arma de fogo. 

Foto: reprodução/Redes Sociais

 Segundo os militares, dois suspeitos estavam armados, um foi baleado no confronto, outro conseguiu fugir e o terceiro acabou detido.

 Ainda durante a ocorrência, a Polícia Militar apreendeu grande quantidade de maconha e material para embalar cocaína.

O suspeito baleado foi socorrido e levado ao Hospital Cristo Redentor, mas não resistiu. Ele afoi identificado oficialmente como Leandro Rosa Bispo.

O rapaz que foi detido é um adolescente de 16 anos. Ele foi apresentado no Complexo Policial juntamente com a arma utilizada no confronto, um revólver calibre 32, com 6 munições, sendo três deflagradas.

O corpo do suspeito  está no Instituto Médico Legal (IML) para realização do exame de necropsia.

Siga o nosso Instagram e Face e fique bem informado.

 

Bolsonaro disse a membros da bancada evangélica que quer vice do grupo em 2022



Já de olho na próxima eleição presidencial, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) tem dito a membros da bancada evangélica que sonha com um vice cristão para disputar a eleição de 2022. A informação é do blog de Lauro Jardim, no jornal O Globo.

Embora seja católico, o presidente se aproximou do eleitorado evangélico e tem cultivado essa relação. Presente na Marcha para Jesus, em junho, ele creditou sua vitória na eleição presidencial aos evangélicos.

Quem está atento a esse movimento é o deputado federal Marco Feliciano (Pode-SP), vice-líder do governo no Congresso Nacional. De acordo com a publicação, Bolsonaro passou até a chamá-lo de “vice”. (BN)

STF adia julgamento de segundo habeas corpus ao ex-presidente Lula


O julgamento sobre a suspeição do ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) foi adiado e não terminará nesta terça-feira (25). O ministro Gilmar Mendes disse que seu voto de 44 páginas é longo e, portanto, não seria possível analisar o mérito nesta sessão.

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva alega que o Moro não atuou com isenção quando era juiz da Operação Lava Jato.

Em seu voto, Gilmar propôs liberdade provisória a Lula enquanto o mérito do HC fosse julgado pela Corte. Contudo, por 3 votos a 2, os ministros do tribunal decidiram por manter o petista preso, mesmo enquanto o habeas corpus não fosse julgado. Antes disto, os ministros ainda optaram por não conceder um primeiro HC ao ex-presidente. (bn)

Ex-governador Nilo Coelho é condenado pela Justiça e perde direitos políticos por 5 anos


A 1ª Vara da Justiça Federal de Guanambi condenou o ex-governador da Bahia e ex-prefeito da cidade, Nilo Coelho (PSDB), por improbidade administrativa.

De acordo com a decisão, o tucano causou danos à administração pública enquanto prefeito e, por essa razão, perderá os direitos políticos por cinco anos. A condenação também prevê multa em três vezes o valor da última remuneração de seu cargo como prefeito.

Coelho foi prefeito de Guanambi entre 1983 ao ano de 1986 e também no período entre 2005 e 2010. (BN)

Eleitores da Bahia: Gestão de Bolsonaro é considerada regular


O levantamento encomendado pelo Bahia Notícias e Grupo Metrópole que indicou a opinião dos eleitores baianos sobre as administrações de Rui Costa (PT) (veja aqui) e ACM Neto (DEM) (veja aqui), também perguntou aos entrevistados a respeito da gestão do presidente da República Jair Bolsonaro (PSL).

O número de baianos que avaliou a administração de Bolsonaro como regular foi de 31,2%, boa foi a opção escolhida por 28,5% e ótima 8,1%. Aqueles que consideram o governo Bolsonaro ruim representam 13% e péssimo 13,6%. O Instituto consultou 804 eleitores, entre os dias 17 a 20 deste ano.

O índice dos que aprovam a administração de Jair Bolsonaro foi de 54,9% entre os eleitores consultados na pesquisa. Entre os que desaprovam o total foi de 36,7%, e 8,4% não souberam ou não opinaram. (BN)

Pesquisa: Maioria dos eleitores avalia gestão de ACM Neto como boa ou regular


A maioria dos eleitores soteropolitanos avalia a administração do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), como boa (34,4%) e ótima (23,%), segundo um levantamento do Instituto Paraná Pesquisas encomendado pelo Bahia Notícias e Grupo Metrópole. O índice de eleitores que avaliaram a gestão do democrata como regular foi de 26,3%, ruim 8,9% e péssima 6,5%. Outros 0,9% não souberam ou preferiram não opinar.

Quando questionados se aprovavam ou desaprovavam a maneira como ACM Neto gere a capital baiana, 73% disse aprovar, enquanto 22,7% desaprova. 4,3% dos entrevistados não opinou. O Instituto consultou 804 eleitores, entre os dias 17 a 20 deste ano.

Maioria dos baianos avalia administração de Rui como boa ou regular, aponta pesquisa


O levantamento encomendado pelo Bahia Notícias e Grupo Metrópole que indicou a opinião dos eleitores baianos sobre as administrações de Rui Costa (PT) (veja aqui) e ACM Neto (DEM) (veja aqui), também perguntou aos entrevistados a respeito da gestão do presidente da República Jair Bolsonaro (PSL).

O número de baianos que avaliou a administração de Bolsonaro como regular foi de 31,2%, boa foi a opção escolhida por 28,5% e ótima 8,1%. Aqueles que consideram o governo Bolsonaro ruim representam 13% e péssimo 13,6%. O Instituto consultou 804 eleitores, entre os dias 17 a 20 deste ano.

O índice dos que aprovam a administração de Jair Bolsonaro foi de 54,9% entre os eleitores consultados na pesquisa. Entre os que desaprovam o total foi de 36,7%, e 8,4% não souberam ou não opinaram.

Lula pode ir para regime semiaberto no próximo semestre


A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar nos próximos meses um recurso da defesa que questiona a pena imposta ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no caso do tríplex no Guarujá.

De acordo com o jornal O Globo, existem ministros dispostos a mandar Lula para um regime mais brando, como semiaberto ou ainda para a prisão domiciliar, ainda neste semestre.

Mesmo com a condenação desta quarta-feira (6) no caso do sítio de Atibaia, ganha corpo a tese de que a pena atribuída a Lula foi excessiva, porque ele teria sido condenado por um mesmo fato duas vezes – o que, por lei, é proibido.

Para alguns ministros ouvidos pela reportagem, é possível excluir da condenação o crime de lavagem de dinheiro. Caso se confirme a diminuição da pena, Lula pode receber o benefício da progressão de regime por já teria cumprido um sexto da pena.

Hoje o petista está no regime fechado, condenado a 12 e 1 mês. Caso progrida para o semiaberto, o réu pode sair durante o dia para trabalhar e voltar à noite. Na prisão domiciliar, ele pode ser obrigado a obedecer a algumas regras – como o uso de tornozeleira eletrônica, ou limitações de horários para sair de casa. (BN)

‘O pacote tem nosso apoio’, diz Rui sobre projeto anticrime apresentado por Moro


Embora admita que ainda não teve tempo de ler “todas as vírgulas” do “Projeto Anticrime”, o governador Rui Costa (PT) apoia a iniciativa. Apresentado pelo ministro Sérgio Moro, nesta segunda-feira (4), o projeto em questão propõe alterações em 14 leis, com o objetivo de tornar as penas mais rigorosas.

“O pacote tem nosso apoio, nós vamos trabalhar pra sua aprovação, que é a maior rigidez no combate ao crime organizado”, afirmou o governador baiano na sessão de abertura dos trabalhos da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA).

Rui é cauteloso, no entanto, quanto à autorização da prisão em segunda instância (saiba mais aqui). Ele ressalta a necessidade de atentar para que o rigor não retire “qualquer valor de cidadania ou do direito de defesa das pessoas”.

“Eu considero, por exemplo, que a prisão, seja em primeira, segunda ou terceira instância, ela só deve ocorrer quando tiver provas robustas do crime cometido pela pessoa”, defende. Rui é correligionário e apoiador do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Preso em segunda instância, Lula cumpre pena pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, cuja condenação foi imposta pelo então juiz Sérgio Moro na primeira jurisdição. O petista nega as acusações.

Bolsonaro assina decreto que facilita a posse de armas no Brasil


O presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinou na manhã desta terça-feira 15 um decreto que flexibiliza a posse de armas de fogo no Brasil. O esperado documento foi anunciado depois da terceira reunião do Conselho de Governo, formado pelo presidente, pelo vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) e pelos 22 ministros.

Bolsonaro anunciou que o decreto altera os critérios para a chamada “efetiva necessidade” da aquisição da arma e manutenção desta em casa. Hoje, o interessado apresenta suas alegações e cabe à Polícia Federal, de forma subjetiva, considerá-las válidas ou não. A partir de agora, serão adotados critérios objetivos. Todos que viverem na área rural ou em cidades localizadas em estados com mais de dez homicídios a cada 100.000 habitantes terão direito a adquirir armas e munições.

Segundo o presidente, a decisão se justifica para atender ao referendo de 2005, quando foi rejeitada a proibição do comércio de armas de fogo. O texto não altera as regras relativas ao porte de armas, a autorização para se deslocar com o artefato.

O documento será publicado ainda nesta tarde em edição extraordinária do Diário Oficial da União, também aumenta o tempo de duração da autorização para a posse, que passa de cinco para dez anos.

A flexibilização da posse de armas, o direito à compra e manutenção em casa dos artefatos, é uma das promessas de campanha de Bolsonaro. Por se tratar de uma regulamentação, a alteração pôde ser feita por meio de decreto, em solução articulada com o ministro da Justiça, Sergio Moro, que dispensou a discussão do tema no Congresso Nacional. (Veja)