Mãe presa por tentar vender garoto de 12 anos por R$ 70 mil por ‘raiva’ é solta pela Justiça



A mulher que foi presa no município de Santa Maria da Vitória, no oeste da Bahia, por ter vendido o filho de 12 anos por R$ 70 mil foi liberada, na sexta-feira (8), por decisão da Justiça.

Maria Rocha Roque recebeu liberdade provisória e vai responder ao processo fora da cadeia, segundo informou o delegado Leyvinson Rodrigues, que investiga o crime. Ele ainda informou que a criança está com a avó materna na cidade de Botuporã.

Na tarde de quarta-feira (6), Sinvaldo Lenes Vieira, de 71 anos, suspeito de negociar a compra do garoto com a mãe da criança, também foi liberado da cadeia após pagar uma fiança de dois salários mínimos, o que corresponde ao valor de R$ 1.996.

De acordo com informações da polícia, a prisão da mãe do adolescente, Maria Roque Rocha, também era afiançável, mas a suspeita alegou não ter condições financeiras para fazer o pagamento.

No dia 22 de janeiro, a Polícia Civil concluiu o inquérito e indiciou Maria Rocha Roque por tráfico de pessoas, abandono de incapaz e comunicação falsa de crime. Já Sinvaldo Vieira foi indiciado por tráfico de pessoas, mesmo após ter negado a participação no crime.

De acordo com o delegado Alexandre Haas, que também apura o caso, o inquérito foi enviado para o Ministério Público da Bahia (MP-BA), que pediu novas diligências.

A Polícia Civil informou que, agora, serão concluídas as diligências requeridas e, depois, o inquérito será enviado novamente ao MP para que o órgão denuncie os dois suspeitos ou peça o arquivamento do caso.

De acordo com o delegado Alexandre Haas, Sinvaldo foi acusado pela mãe do garoto em depoimento na delegacia. Também em depoimento, Maria revelou que venderia o adolescente por raiva, porque o garoto é fruto de um estupro. A polícia não tem informações sobre quem teria sido o autor do abuso.

Entenda o caso
Um menino de 12 anos foi encontrado sozinho e chorando, no dia 11 de janeiro, na rodoviária de Santa Maria da Vitória, oeste da Bahia. Após abordagem da polícia, o menino informou que havia sido deixado no local pela mãe.
No mesmo dia, a polícia entrou em contato com a mãe do menino, que disse, por telefone, que havia sido sequestrada e que estava na rodoviária de Bom Jesus da Lapa. Maria Rocha Roque foi presa no local.
Em depoimento, inicialmente, ela manteve a versão do sequestro, mas depois confessou que venderia o filho por R$ 70 mil a um homem. Segundo ela, o menino seria enviado a uma família no Japão. O delegado, entretanto, contestou a versão e afirmou que a história de que ele seria levado para o Japão foi um pretexto que o aliciador inventou para iludir o menino.
Maria Rocha manteve a versão do sequestro inicialmente, mas depois confessou que entregaria o filho para um homem e receberia R$ 5 mil. O menino tinha informado para os agentes que o homem havia prometido levá-lo para o Japão e entregar à sua mãe R$ 65 mil.
A mulher ainda revelou à polícia que venderia o adolescente por raiva, porque o garoto é fruto de um estupro.
O homem suspeito de negociar a compra do garoto, um idoso de 71 anos, foi preso no fim da manhã do dia 15 de janeiro, na cidade de Botuporã, no sudoeste da Bahia. Segundo a polícia, ele já tinha passagem por tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo. Ele negou participação no esquema.
O garoto é filho único e está sendo acompanhado pelo Conselho Tutelar. (g1)