Duas pessoas ficam feridas em acidente próximo a UESB


Foto: ilustrativa

Duas pessoas foram socorridas e levadas pelo  Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o hospital Cristo Redentor depois de um acidente na rodovia BA-263, trecho que liga os municípios de Itapetinga e Itambé.

Segundo testemunhas, a colisão entre um carro e uma motocicleta aconteceu no começo da tarde desta quinta-feira (18), nas proximidades da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), quando os veículos viajavam em sentido contrário.

As vítimas ficaram aos cuidados médicos do hospital Cristo Redentor.

Não há informações das causas do acidente nem dos motivos da colisão.

Sudoeste baiano: Em decisão emocionante, juiz baiano emancipa jovem que morava em galinheiro


Todo juiz, antes de vestir a toga, é um ser humano, e por isso não deixa de sofrer ao se deparar com uma situação de miserabilidade, como a da jovem Naiane Santos Silva, de Jequié. A decisão do juiz Luciano Ribeiro, que emancipa a jovem de 17 anos, emociona a todos que a leem. Na sentença, o juiz conta a história da menina abandonada pelos pais aos 11 anos de idade que teve que residir em um galinheiro às margens da BR-330 e era alimentada por pessoas que trabalhavam na pista. Naiane, recentemente, foi contemplada com uma casa do programa Minha Casa Minha Vida, mas foi impedida de assinar o contrato por ser menor de idade. Com isso, perdeu o direito à casa. A ação para emancipação foi proposta pela Defensoria Pública da Bahia. O magistrado, agora, espera que com a decisão Naiane possa ter dignidade e acesso a educação, moradia e um trabalho.

Em 2014, a jovem passou a viver com o companheiro, na época já maior de idade. Ela já é mãe, separada, e, atualmente, vive apenas com recursos do Bolsa Família e mora de favor em uma casa pequena, mas pode ser despejada. Na ação, a Defensoria alega que a jovem já exerce atos de maioridade civil, sendo responsável pelo filho e por prover seu próprio sustento desde os 11 anos de idade. A Promotoria de Justiça local foi favorável à emancipação da menina. O parecer ministerial afirma que a história de vida da jovem “é a prova cabal da falência do Estado e de que o sistema muitas vezes não funciona”. Na decisão, o juiz diz que, em 13 anos de magistratura, nunca imaginou julgar um processo como esse, e por isso, se viu obrigado a proferir a sentença em 1ª pessoa. “Em todo o referido tempo, não me recordo em ter prolatado uma sentença com tanto sofrimento e com lágrimas de tristeza saltando dos meus olhos. Impossível não se compadecer com a situação da autora”, afirma. “O juiz, como estamos exaustos de saber, não é Deus, e não há ser humano que consiga deixar de sofrer ao se deparar com a situação da autora. Todo Juiz(íza) por prevalência e anterioridade, é um ser humano. Aliás, no dia em que foi realizada a audiência de instrução, foi difícil conciliar a noite ao sono”, declara.

Além de ser juiz, ele se declara um “devotado, amoroso e apaixonado pai de uma menina” e diz que não é possível entender como um pai pode abandonar um filho desde o nascimento. Para ele, talvez a única forma de entender tudo isso é a “tão atual quanto antiga e cruel política nacional de atendimento das necessidades básicas e vitais das pessoas pobres e abandonadas do nosso país”, e que, provavelmente, os pais da jovem foram vítimas de abandono também. “As tragédias pessoais e familiares se sucedem, de forma interminável, no nosso Brasil. Em casos assim, temos a exata compreensão de como os desmandos e a corrupção daqueles que administram o dinheiro e a coisa pública são maléficos a seres humanos”, avalia. O juiz afirma que “administradores” como esses desconhecem a Constituição Federal e podem ser classificados como “genocidas”, “e não somente em razão das pessoas que morrem por falta de alimento ou por falta de atendimento às suas básicas necessidades de saúde, mas também de pessoas biologicamente vivas, mas moral e dignamente mortas”. Ele ainda pondera que, no caso, não tem como julgar a partir da “letra fria da lei” e avalia os critérios para emancipação de um adolescente. Apesar da jovem não estar casada pela lei civil, não ter emprego, não estar prestes a ingressar em uma universidade, e não possuir estabelecimento comercial, a situação dela é “muito grave e, por isso, não se pode encerrar a análise da questão no Código Civil, partindo-se, portanto, e de forma sistêmica, a um exame harmônico com princípios constitucionais”.

Uma assistente social que acompanhou a adolescente relatou que ela teve uma história de sofrimento. Ficou grávida aos 16 anos, mas o bebê foi a óbito pelas “mazelas da pobreza”, acreditando que, por dormir com a criança em uma cama de solteiro, a autora pode ter dormido sobre ela, matando-a. Na segunda gestação, por não ter documentos de identificação, ela não foi submetida a nenhum exame pré-natal, apesar dos pedidos e intervenções, e o primeiro exame de ultrasson foi custeado pela psicóloga que a acompanhava. A adolescente só teve o primeiro documento em janeiro de 2017. Por conta do pedido de devolução da pequena casa em que residia, e por não ter onde morar, foi feito o cadastro da adolescente no Ministério do Desenvolvimento Social, onde, por ser mulher e chefe de família, teve prioridade para ser inscrita no Programa Minha Casa Minha Vida. No momento da assinatura do contrato do imóvel, a Caixa negou o direito por ser menor de idade. A partir daí, a Defensoria ingressou com a ação para emancipação.

O juiz conta na decisão que durante a audiência de instrução foi “incontrolável o acalentador desejo de um pai em abraçar aquela jovem, transmitindo-lhe algum conforto, carinho e esperança”. E assim ele fez. “Tal não foi a minha surpresa ao ver se levantar uma adolescente com estatura avantajada. Grande no espírito e na estatura! Esportista que sou e sempre fui, logo imaginei a quantidade de modalidades esportivas e olímpicas que perderam a força natural dessa guerreira. Ao menos, resta-lhe o título de campeã da vida”, salientou. O caso, segundo o magistrado, é um retrato do Brasil, em que o “Poder Público não entrega à sua juventude nenhum direito social, sabotando-lhes educação, saúde, alimentação, trabalho, moradia, transporte, lazer, segurança, proteção à maternidade e à infância, assistência aos desamparados”. “Como resultado desse jogo mais que injusto, perde Naiane, perdemos todos nós. Até quando? Mas vai, Naiane! Comprovou-se que a vida já te emancipou, e agora quem o faz é o Poder Judiciário, que lhe deseja paz e inteireza, para cuidar de si, sua família e irmãos, pois se você ainda não tem esses direitos, caráter, honra e brio já demonstrou que possui, de sobra. Como toda sertaneja, és uma forte!”, escreveu o juiz Luciano Ribeiro antes de declarar a emancipação. A ação já transitou em julgado.

A decisão repercutiu em Jequié e diversas pessoas já se mobilizam para ajudar a adolescente, agora emancipada. De acordo com o magistrado, em entrevista ao Bahia Notícias, advogados da região já querem criar uma conta para ajudá-la com recursos e a prefeitura também já se mobilizou. “Queira Deus que a vida dela mude depois disso”, declarou. Ele disse que, como juiz, “vê muita miséria do que de pior o ser humano tem”. Sobre julgar em 1ª pessoa, ele afirma que, tecnicamente, o juízes aprendem a não fazer a sentença desta forma, “pois não é o juiz que está julgando, é o Estado”. “Sempre nas minhas decisões coloco ‘decreta-se’, ‘homologa-se’, ‘condena-se’. Nunca coloco ‘condeno’ ou ‘homologo’ porque não sou eu. Mas dessa vez, eu achei que não tinha como. Antes de tudo, somos humanos e eu sou pai também. Não tem como não se sensibilizar e se compadecer com um absurdo desse para o ser humano”, frisou.

Como juiz, ele diz que os magistrados acabam sendo criticados, mas destaca a sobrecarga de trabalho. “Nós temos limitações humanas, trabalhamos com pouca estrutura, e com isso tudo, ficamos em dívida com a sociedade e a sociedade, às vezes, personaliza essa dívida por falta de empenho ou dedicação da nossa parte. Que isso também sirva, de alguma forma, para mudar um pouco a visão do Poder Judiciário. Tem muitos juízes e juízas preocupados em fazer justiça e fazer seu papel social. Nós podemos não só julgar processos, mas modificar a realidade das pessoas. E isso conforta muito a gente”. (blogdorodrigoferraz)

Itapetinga: Homem procurado por homicídio é preso pela Polícia Civil


Uma equipe da Polícia Civil cumpriu um mandado de prisão preventiva em desfavor de Franklin Sousa da Silva, de 29 anos, procurado pela justiça por causa de um homicídio ocorrido em julho de 2013, em Itapetinga.

A ocorrência policial aconteceu  na rua Betânia, bairro Nova Itapetinga, depois que os policiais receberam informações do paradeiro do homem. Ele estava em casa quando foi surpreendido pelos os agentes.

Os investigadores concluíram que Eduardo de Jesus Júnior, na época com 18 anos, foi assassinado a tiros por Franklin, crime registrado em via pública, na Avenida Gerson de Oliveira, nas proximidades do Residencial Moacyr Moura. Um amigo de Eduardo, Agnailton Silva Alves, de 17 anos, também foi baleado durante o homicídio.

O crime aconteceu no momento que Eduardo empurrava uma bicicleta enquanto conversava com o amigo adolescente. Dois homens em uma motocicleta aproximaram-se e o garupa atirou em direção as vítimas. Eduardo morreu antes de receber atendimento médico.

O adolescente levou um tiro na coluna cervical, ficou tetraplégico, e morreu no hospital Cristo Redentor um ano após o crime.
Tráfico de drogas teria sido o motivo do crime, segundo a polícia. Não há informações da pessoa que pilotava a moto no dia da execução.

Franklin permanece  preso no Complexo Policial, à disposição da justiça.

Itapetinga: Jovem é preso com revólver após homicídio


A Polícia Civil de Itapetinga prendeu no fim da manhã desta quinta-feira (18) um jovem de 26 anos, identificado como José Caio Santos de Sousa, sob acusação de posse ilegal de arma de fogo.

Segundo a polícia, ele foi localizado pelos os investigadores em uma casa na travessa 18, no bairro Nova Itapetinga, onde durante buscas os policiais apreenderam um revólver calibre 38, com 5 munições intactas.

José foi conduzido e apresentado no Complexo Policial juntamente com o material apreendido. A arma (que está com a numeração raspada) foi encaminhada para perícia no Departamento de Polícia Técnica (DPT).

A prisão de José ocorreu depois do homicídio de um jovem de 19 anos, registrado na noite do dia anterior, no bairro Nova Itapetinga. A vítima foi morta com vários tiros no meio da rua por dois homens em uma motocicleta. Os investigadores estão apurando os detalhes para saber se José realmente cometeu o assassinato. Ele nega. Enquanto isso, a justiça o mantém preso pelo crime de posse ilegal de arma. José Caio Santos de Sousa já contava com passagem na delegacia do município por tráfico de drogas.

O outro suspeito do homicídio ainda não foi localizado pela polícia, que espera contar com a colaboração da comunidade, apontando o seu esconderijo.

A seguir, assista ao vídeo com a notícia do assassinato, citado no texto acima.

Jogadoras espanholas conquistam direitos relacionados à maternidade


Após dois meses de negociação, as jogadoras de futebol da Espanha tiveram ganhos importantes em direitos que envolvem a maternidade e primeiros anos de vida dos filhos. De acordo com o Uol, foram aprovadas medidas que visam melhorar a qualidade de vida dessas atletas, possibilitando que construam famílias sem serem prejudicadas na profissão.

Entre as medidas propostas pela direção da Federação Espanhola estão um auxílio financeiro para quando estiverem grávidas e uma espécie de “auxílio creche” para depois do nascimento do bebê. Segundo a instituição, a iniciativa melhora as condições de quando elas não puderem jogar, além de ter mais opções de onde deixar os filhos após voltarem ao trabalho.

“Essa decisão histórica permitirá e incentivará a conciliação de tarefas das jogadoras, melhorando as condições de trabalho de todas elas”, anunciou a federação espanhola.

Em Itororó, homem morre em troca de tiros com a polícia



Um homem, identificado apenas como Daniel, suspeito de assaltos nos municípios de Itororó e Firmino Alves, foi morto durante uma troca de tiros com as polícias Civil e Militar, na noite desta quarta-feira (17).

As primeiras informações apuradas pelo site Itapetinga Repórter dão conta que o confronto aconteceu na Rua Primeiro de Maio, no Bairro Aparecida, em Itororó.

Ainda conforme as informações, o homem foi socorrido e levado para o hospital local, mas não resistiu.

O corpo será removido para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Itapetinga.

Aguardem novas informações.

 

Em Itapetinga, jovem de 19 anos é assassinado a tiros na Nova. Assista a reportagem


José Nilson Pereira Filho, de 19 anos, foi assassinado a tiros na noite desta quarta-feira (17), na Rua Catolé, no Bairro Nova Itapetinga.

Segundo testemunhas, a vítima estava no meio da rua quando foi surpreendida por dois homens em uma motocicleta. O passageiro sacou uma arma de fogo e atirou 6 vezes em direção ao jovem.

José, também conhecido como Nilsinho, chegou a ser socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu aos ferimentos.

A Polícia Militar e Guarda Civil Municipal (GCM) estiveram na cena do crime. Os agentes colheram informações dos suspeitos e estão realizando buscas, mas até a publicação desta notícia ninguém havia sido preso.

A família da vítima disse ao Itapetinga  Repórter que o jovem sofreu uma tentativa de homicídio há 5 meses às margens do Rio Catolé. Todos deram conselhos para ele deixar o mundo do crime, mas José tinha algumas rixas antigas por causa do seu envolvimento com o tráfico de drogas. Ele morava com o pai, no mesmo bairro em que foi assassinado.

O corpo removido pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) foi levado para o Instituto Médico Legal (IML). Depois do exame de necropsia, o corpo será liberado para a família realizar o velório e sepultamento. O clima é de muita dor entre amigos e familiares do jovem.

As investigações do caso estão a cargo da Polícia Civil.

Veja também

Itapetinga: Jovem é preso e outro é baleado pela polícia depois de roubo a estudantes da Unopar

Itapetinga: Homem é baleado na Central de Abastecimento; suspeitos detidos, arma apreendia

Carro capota e motorista fica ferido em Itapetinga


Um motorista deu entrada no hospital Cristo Redentor depois de um capotamento na BA-263, trecho da rodovia que liga os municípios de Itapetinga e Itambé, no fim da manhã desta quarta-feira (17).

Caíque Machado é morador do município de Itambé e viajava em direção a cidade de Itapetinga quando aconteceu o acidente, registrado por volta das 11 horas, próximo ao posto da Polícia Rodoviária Estadual (PRE).  Ele sofreu vários ferimentos pelo o corpo, foi socorrido e levado para o hospital pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).   Caíque viajava sozinho no momento do capotamento e foi socorrido dentro do veículo.

Conforme testemunhas, o carro saiu da pista, capotou, atingiu duas cercas de arame e parou em uma fazenda, às margens da rodovia.

Apesar da violência do acidente, o homem que trabalha como motorista da Paróquia de São Sebastião do município de Itambé, não sofreu nenhuma fratura e recebeu alta médica na tarde do mesmo dia.

Não há informações das causas do acidente.

Veja também

Itapetinga: Jovem é preso e outro é baleado pela polícia depois de roubo a estudantes da Unopar

Itapetinga: Homem é baleado na Central de Abastecimento; suspeitos detidos, arma apreendia

Bahia: Vereadores são afastados por usar dinheiro público para compra de gado


Quatro vereadores da cidade de Itapé, localizada no sul da Bahia, foram afastados das funções por tempo indeterminado após suspeita de desvio de dinheiro público. A ordem judicial foi emitida nesta terça-feira (16).

Os afastamentos ocorreram durante uma operação do Ministério Público Estadual (MP-BA) junto com a Polícia Militar, que cumpriu mandados de busca e apreensão na casa legislativa para recolher provas.

Em julho, o presidente da Câmara, Nilton Rosa Pinto (PP), foi afastado por suspeita de falsificação de assinatura em cheques.

No esquema de corrupção descoberto na Câmara eram realizadas transferências de, pelo menos, dois cheques da conta da Câmara para o presidente afastado, nos valores de R$ 11.300,00 e R$ 11.200,00. O montante seria utilizado para garantir empréstimos de compra de gado. Outros dois cheques, de R$ 16.000,00 e R$ 8.000,00, teriam sido utilizados para comprar materiais de construção para obras residenciais do presidente da Casa e de outros dois vereadores.

Com cinco dos nove vereadores da Câmara afastados, a continuidade dos trabalhos fica inviável, segundo informações do MP. Para que as sessões continuem, o órgão disse que irá solicitar à Justiça Eleitoral que os suplentes dos vereadores afastados tomem posse para que a Câmara volte a funcionar.

As decisões de afastamento, segundo o G1, foram assinadas pelo Juiz Murilo Staut Barreto. Os vereadores afastados foram Klebson de Jesus Santos, Cledson Gomes Alves, Agnaldo Santos Filho e Eduardo Coelho.

O MP apreendeu contracheques dos vereadores, contratos de empréstimos consignados, processos de pagamento e processos licitatórios dos parlamentares.

Uma cópia da decisão de afastamento dos vereadores será encaminhada ao juiz da 27ª Zona Eleitoral para que sejam adotadas medidas a fim de viabilizar o funcionamento da Câmara. (bn)

Bahia: Professor universitário acusado de crimes sexuais tem prisão domiciliar concedida


O professor da Universidade Estadual da Bahia (Uneb), Thiago de Oliveira Moreira, teve a prisão domiciliar concedida pela Justiça. Na tarde desta terça-feira (16), o 12° Batalhão da Polícia Militar (BPM/Camaçari) escoltou o professor até sua casa, em Salvador.

Thiago tinha se apresentado, no 12° BPM/Camaçari, no último sábado (13), após ter a prisão preventiva decretada na quinta-feira. Por ordem da Justiça, o professor ficou custodiado no local até esta terça.

Denúncias

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) tinha pedido a prisão do professor com base em depoimentos e provas apresentadas por mais de uma dezena de alunos e alunas, que relataram crimes de assédio sexual, ameaças e lesões corporais. Além disso, ele também é suspeito pela prática de crimes contra a administração pública, como prevaricação e supressão de documentos públicos.

Segundo o MP-BA, Thiago, que também atua como advogado, é professor da Uneb desde 2007. Ele já ocupou o cargo de coordenador do Colegiado de Direito do Campos IV, sediado em Jacobina, e lecionava também em Irecê e Itaberaba. Ele atualmente acumula a função de professor com a de procurador jurídico de Morro do Chapéu.

Em razão do número elevado de vítimas, o Ministério Público do Estado da Bahia disponibilizará suporte psicológico e assistencial às vítimas e testemunhas. O agendamento pode ser feito pelo telefone (74) 3621-2212. As informações sobre as vítimas serão preservadas.