Região de Itapetinga: continua desaparecido homem que sumiu durante pesca de arpão no Rio Pardo

O que deveria ser um momento de alegria entre amigos terminou em tragédia no município de Potiraguá, no interior da Bahia, no fim da tarde deste domingo (4).

Foto: ilustrativa

Um homem, identificado apenas pelo prenome de João, está desaparecido nas águas do Rio Pardo, nas proximidades da Fazenda Colatina. Ele e mais alguns amigos estavam fazendo uma pescaria de arpão, quando mergulhou e inesperadamente desapareceu no rio.

Ainda conforme as primeiras informações apuradas pelo site Itapetinga Repórter, várias pessoas entraram na água, mas não conseguiram encontrar João, que seria trabalhador de uma fazenda vizinha.

Na manhã desta segunda-feira (5) o Corpo de Bombeiros de Vitória da Conquista dará início as buscas no trecho do rio onde o homem desapareceu. A pescaria de arpão é bastante praticada aqui na região, mas exige muita técnica e respeito aos limites do próprio pescador. Por causa dos perigos, a atividade é hoje considerada um esporte radical.

Foto: ilustrativa

A pesca de arpão é feita sem aparelhos de respiração artificial, mas o mergulhador pode usar armas para abater os peixes (uma espingarda). Para evitar a pesca predatória, no Brasil é proibido usar cilindro de oxigênio para a prática. Para aumentar o fôlego e conseguir ficar debaixo d’água por mais tempo, o caçador faz exercícios respiratórios na superfície. Amador ou profissional, a pescaria de arpão exige muita cautela dos caçadores. Caso contrário, um momento de descontração entre familiares e amigos pode terminar em dor e tristeza. No caso em questão, ainda não há informações do que tenha motivado o desaparecimento do pescador.
Notícia atualizada